03/04/2014

Meu coração escorre por entre meus dedos, manchando os lençóis, o tapete e as cortinas. Sons abafados entram pela janela como risos loucos de uma noite insana. Não há silencio, não há saída, somente esse pedaço de gente encravado em meu peito. E ele insiste em ir cada vez mais fundo, cada vez mais.

No comments: